No inicio de abril, durante o monitoramento de animais atropelados realizado pela equipe da Reserva Biológica de Sooretama, uma fêmea adulta de harpia foi encontrada na margem da BR-101, no canteiro próximo à mata. A ave foi resgatada ainda com vida, porém muito debilitada, e levada imediatamente para o Centro de Estudos e Reintrodução de Animais Selvagens (Projeto Cereias), em Aracruz. No final da tarde, foi conduzida, pela equipe do Programa de Conservação do Gavião-real (PCGR), para o Hospital Veterinário da Universidade de Vila Velha. Devido à distância, o animal chegou ao Hospital Veterinário na parte da noite, onde foi imediatamente atendido por professores e médicos veterinários residentes, especialistas em Medicina de Animais Selvagens.

Após exame físico minucioso, foi percebido um grande edema na região abdominal. A harpia apresentava lesões indicativas de trauma, como presença de fraturas em quilha e sinsacro, além de hematomas em abdômen e cabeça e hemorragias em encéfalo e lateral do globo ocular, sendo todas as lesões encontradas no lado direito. Além disso, dois projéteis de chumbo, provenientes de arma de fogo, foram encontrados no corpo do animal.

Apesar dos esforços despendidos pelos pesquisadores que tentaram salvar a Harpia  ela não sobreviveu.

Em menos de 10 meses, indivíduos de três espécies de grandes vertebrados ameaçados de extinção foram atropelados no trecho da rodovia BR-101 que corta as Reservas Biológica de Sooretama e Natural Vale, no Espírito Santo. Três antas (Tapirus terrestris), sendo uma prenhe, uma onça-parda (Puma concolor) e agora uma harpia (Harpia harpyja) foram vítimas dessa estrada que intercepta duas das Reservas de Mata Atlântica da Costa do Descobrimento, declaradas como Patrimônio Mundial da Humanidade, que formam o maior fragmento contínuo de floresta tabuleiros do Corredor Central da Mata Atlântica.

È necessário, principalmente no entorno de unidades de conservação como no do Parque Estadual do Rio Doce, a adoção de medidas  preventivas para a proteção da fauna silvestre. A velocidade que os veículos passam no local que ocorreu o atropelamento foi mensurada, a média da velocidade é de 80 km/h, muitos passam acima de 100 km/h, no trecho em que a velocidade máxima permitida é de 60 km/h. O acidente ocorreu a menos de um quilômetro de um radar fixo de controle de velocidade.

A Harpia

É a maior águia das Américas, pode atingir mais de dois metros de envergadura, possui lenta taxa de reprodução, cria um filhote a cada dois a três anos por casal, e possui longo tempo vida, podendo viver mais de 40 anos na natureza. A remoção de um indivíduo fêmea adulto reduz muito a viabilidade de populações locais dessa espécie. No Brasil, a harpia passou a ser considerada ameaçada de extinção em todo território nacional no final de 2014, classificada como Vulnerável, quando foi divulgada a nova Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção. Na Mata Atlântica, restaram poucos indivíduos e a floresta das Reservas Biológica de Sooretama e Natural Vale é um dos últimos refúgios desta espécie no bioma. A população de harpia nas reservas é monitorada desde 2009 pelo PCGR. Entre os registros de indivíduos nas reservas, um foi avistado em 2011 com um macaco nas garras em uma árvore na margem da rodovia, no mesmo trecho deste atropelamento.

A Reserva Biológica de Sooretama

Localizada na Bacia do Rio Doce a 130 quilômetros de Vitória e 45 quilômetros de Linhares-ES.a reserva possui fauna com elevado número de espécies endêmicas e vegetação da mata atlântica com árvores com mais de 30 metros de altura. Um patrimônio biológico de inestimado valor.

A unidade adquiriu o status de Reserva Biológica em 1982 com a edição do decreto nº 87.588, de 20 de setembro daquele ano. Até então a área era conhecida como Parque de Refugio e Criação de Animais Silvestres Sooretama. A área atualmente ocupada pela reserva foi constituída por duas áreas, sendo uma pertencente à união (Parque de Refugio Sooretama com 12.250 hectares) e a outra pertencente ao Estado do Espirito Santo (Parque Estadual Barra Seca com 10.000 hectares), que se fundiram para criar a reserva. 

A unidade pertence à categoria das Unidades de Conservação de Proteção Integral, definição dada pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza – SNUC, criado pela lei nº 9.885, de 18 de julho de 2000.

Últimos Refúgios precisam ser protegidos.

Data: 20 / 04 / 2015.

Harpia atropelada na BR 101 no viveiro do Projeto Cereias - Aracruz ES.

Onça Parda  atropelada na BR 101 na reserva de Sooretama - ES.