Todos os anos a situação se repete e não aprendemos a lição. Mais uma vez Minas arde em chamas.

A intensificação dos incêndios florestais por todo estado, com 15 unidades de conservação em chamas, inclusive a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Horto da Alegria, localizada na Serra do Caraça, evidencia a fragilidade do Corpo de Bombeiros para enfrentar estes eventos, em períodos prolongados de estiagem. 

Em Ipatinga  um incêndio fora de controle devasta áreas de remanescentes florestais e ameaça a APA Ipanema. O fogo teve inicio a mais de uma quinzena e segue sem controle já tendo passado pelo Limoeiro,  Parque das Cachoeiras, Condomínio Canto das Águas, RPPN do Isaías indo em direção ao Bairro Pedra Branca.

Segundo publicação no site da AMDA “o  desvio de recursos oriundos da Taxa de Incêndio, que por lei devem ser destinados exclusivamente à equipagem do Corpo de Bombeiros, mostra o descaso de sucessivos governos estaduais para com o assunto. Nos últimos incêndios na Serra do Curral e Rola Moça, caminhões da instituição demoraram duas horas ou mais para chegar às áreas em chamas. Até o veículo que ficava no Parque Estadual Serra do Rola Moça foi retirado, há mais de quatro meses, por falta de manutenção.

Esclarece também que Informações disponíveis no Portal da Transparência indicam que o governo estadual arrecadou através da taxa de incêndio o valor de R$ 356,6 milhões, no período compreendido entre 2010 e julho de 2015, para ajudar a custear a ação dos bombeiros. No entanto, neste período, apenas R$ 215,4 milhões foram destinados efetivamente na conta da corporação. A diferença não é explicada no Portal, não se sabendo como foi usada”. 

Em Ipatinga no Fundo Municipal de Meio Ambiente existem recursos para serem aplicados em projetos e ações visando a proteção ambiental. Parte desses recursos poderiam ser utilizados na formação de brigadas de incêndios florestais temporárias, que em apoio ao Corpo de Bombeiros e com a parceria de brigadas empresariais existentes na região poderiam minimizar esses  impactos ambientais causados pelo fogo.

Já passou da hora do Estado investir na formação de um batalhão especializado já que incêndios florestais exigem conhecimento e bagagem muito distinta do que os bombeiros recebem para operações urbanas, isso não desobriga o poder publico municipal de ações visando a proteção ambiental do seu município.

Minas arde em chamas

Data: 17 / 10 / 2015.

Em Ipatinga  um incêndio fora de controle devasta áreas de remanescentes florestais .

Todos os anos a situação se repete e não aprendemos a lição.