A equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SEMAD, por meio do Núcleo Regional de Fiscalização Leste de Minas – NUFIS LM, em conjunto com a Polícia Militar de Minas Gerais - 12ª Cia Independente de Meio Ambiente e Trânsito (12ª Cia PM Ind. Mat.), realizaram nesta última quinta-feira (24/09) uma operação para fiscalizar e identificar os danos ambientais oriundos da ocupação ilegal de moradores da região do Vale do Aço em Áreas de Preservação Permanente localizadas na margem direita do rio Doce, nas proximidades de sua confluência com o Rio Piracicaba, no município de Caratinga, que se encontram inseridas na zona de amortecimento do Parque Estadual do Rio Doce - PERD.

 O Parque Estadual do Rio Doce - PERD abriga a maior floresta tropical do Estado em seus 35.970 hectares e possui o terceiro maior ecossistema lacustre do Brasil, com uma grande diversidade de fauna e flora, também definida pela UNESCO como zona núcleo da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e Sítio Ramsar, que reconhece as áreas úmidas do Parque como prioritárias para a manutenção da biodiversidade mundial.

A preocupação com a degradação ambiental das margens do rio Doce é compartilhada com diversas organizações, tais como Comitês de Bacias Hidrográficas, Conselho Consultivo do Parque Estadual do Rio Doce, ONGs Fundação Relictos e Associação Mineira de Defesa Ambiental – AMDA, Ministério Público Estadual, além dos órgãos de governo (IEF, IGAM, SUPRAM-LM). O rio Doce encontra-se numa condição de um dos rios mais degradados do País, tendo como uma das principais causas o assoreamento, gerado pelo manejo inadequado do solo e degradação de sua mata ciliar.

“Essa ocupação das margens do rio Doce tem provocado impactos ambientais significativos e tem se tornado uma ameaça constante à integridade da maior reserva contínua de Mata Atlântica do Estado de Minas Gerais e ao próprio rio Doce, comenta José Ângelo Paganini, Presidente da ONG Fundação Relictos”.

Segundo o Ten Cel Ronaldo Silva, Comandante da 12ª Cia PM Ind. Mat., durante a operação foram lavrados 26 autos de infração pelo NUFIS LM, 34 boletins de ocorrência pela Polícia Militar. A ação conjunta com a SEMAD foi fundamental para o sucesso da operação. Os danos ambientais já registrados na área, tais como desmatamento ilegal e incêndios criminosos em áreas legalmente protegidas, constituem uma ameaça constante à integridade do PERD e de toda a biodiversidade que vive no local.

 A Cenibra, proprietária da área, lamenta o ocorrido e informa que realizou investimentos na recuperação das matas ciliares e na proteção das barrancas do rio Doce, em parceria com a ASPARD (Associação de Pescadores e Amigos do Rio Doce), Polícia Militar de Minas Gerais, Rede Ambiental Verde Vida, Instituto Estadual de Florestas (IEF), escolas e comunidade da região.

Fonte: http://www.ambienteja.info/  

Ação conjunta de fiscalização em áreas ilegalmente ocupadas nas margens do rio Doce

Data: 15 / 10 / 2015.

Encontro Rio Piracicaba com o Rio Doce - Ipatinga MG.

Encontro Rio Piracicaba com o Rio Doce - Ipatinga MG.