QUAIS FORAM AS MUDANÇAS E COMPORTAMENTOS DAS PESSOAS DO PROJETO ESCOLA DE VIDA NA SOCIEDADE?

 “VIVER PRECIOSA LIÇÃO

FORMAR O SER EM SEU CORAÇÃO”...

Estes versos poderiam resumir a trajetória do Projeto Escola de Vida desde a sua criação.

Por que a mais preciosa lição é o ato de viver. E só se forma uma pessoa se ela é sensibilizada, tocada em seu coração.  Posso dizer que o Projeto influenciou gerações  e poderia citar inúmeros exemplos de ações decorrentes desta sensibilização empreendida pelas ações do Escola de Vida.

A começar pelo relato de que o nome Escola de Vida foi pronunciado pela primeira vez pelos seus pioneiros em uma trilha da RPPN Fazenda Macedônia, por si só uma ação exemplar e coerente da Cenibra. Ali, naquela manhã de primeira caminhada, nasceu à sombra de uma floresta, a verdadeira identidade do Projeto Escola de Vida. Ela foi conferida pela certidão da terra e seus seres vivos.

Mas o que moveu uma cidade a retirar da sua entrada um lixão que desmoralizava o local e seus habitantes?

O que aconteceu também com aquela outra cidade cuja entrada apresentava como seu cartão postal um lixão com a criação de porcos? Passem por lá quando puderem e vejam a nova paisagem.

Como será que aquela escola resolveu aquele dilema sobre um pé de laranja? Cortou ou não cortou? Como este fato foi apresentado e contextualizado por uma das pioneiras do Projeto Escola de Vida? Que lições as escolas puderam tirar daquele acontecimento?

O que fez uma professora adotar  e capinar um pequeno canto de um final de uma rua, plantar flores e regá-las com seu idealismo   criando aquela que seria a menor praça da mundo? Qual o significado deste gesto heróico de embelezar o espaço para alegrar a vida das pessoas? Quantos alunos passaram pelas mãos desta fada abençoada?

Que motivações moveram um grupo de alunos para impedir que uma carroça de uma prefeitura entrasse em meio ao pátio de recreio daquela pequena  escola para despejar o lixo no único córrego  afluente do Rio Doce? O que levou aqueles alunos  de 7, 8, 9 e 10 anos a darem um basta naquela situação?

Qual teria sido o motivo daquela escola cujos alunos, afetados pela fumaça de pneus queimados, terem denunciado  e cobrado das autoridades medidas para conter aquele vizinho inoportuno? Quantas cartas foram enviadas por eles a prefeito, vereadores e outras autoridades até que a Policia Ambiental conseguisse acabar com aquela situação?

Quantas escolinhas de vida nasceram se multiplicaram nestes vinte anos? Quantas ações locais aconteceram em escolas, com a construção das suas hortas escolares, melhorando a merenda e sendo fonte de renda para até reverter o lucro das vendas das verduras e legumes para comprar ventiladores para as salas de aula? Quantas campanhas e ações de destinação correta do lixo, de economia e uso racional da água foram realizadas?

Quantas apresentações teatrais de escolas, feiras de ciências,festivais de poesia, passeatas ecológicas, eventos folclóricos,produção literária e comemorações das semanas de meio ambiente aconteceram nestes vinte anos? Como as músicas didáticas, paródias e paráfrases, promoveram a magia e o encantamento de muitas crianças?  Quantos professores ainda guardam com carinho os CDs recebidos, a camiseta, os almanaques  e o livro do Escola de Vida ? O que dizer das dinâmicas vivenciadas prazerosamente como expressões poéticas de amor à vida?

Bem senhoras e senhores, eu poderia citar números e mais números, falar dos conhecidos e esperados indicadores de eficiência, eficácia, efetividade, qualidade e produtividade de um projeto...

Mas isso jamais nos daria a  medida real dos valores e virtudes vivenciados por todos que construíram o Projeto Escola de Vida.  Como medir o respeito à diversidade, o exercício da cidadania ativa, a horizontalidade nas tomadas de decisões, o trabalho em rede, a formação de parcerias, a ruptura de preconceitos, o amor à fauna e a flora, a corresponsabilidade e a cooperação, entre outros?

Talvez o único jeito de medir a consciência social, a autoestima, os valores, as atitudes, a capacidade de liderança, de protagonismo e de cidadania seria utilizar uma varinha de condão e examinar o coração de cada um dos participantes do Escola de Vida?

Quem sabe ali não estariam guardadas todas estas  respostas?

Senhoras e senhores:

Viver realmente é uma preciosa lição. E me sinto honrado em lhes dizer:  Parabéns Projeto Escola de Vida! De coração!

 

Lélio Costa e Silva

Em 29.11.2016

 

Projeto Escola de Vida – 20 anos.

Data: 30 / 11 / 2016.

Equipe da Fundação Relictos é homenageada pela CENIBRA

Solenidade de Comemoração dos 20 anos do Projeto Escola de Vida.