A URBANIZAÇÃO E O MEIO AMBIENTE

 

Ronaldo Moreira Marques

Ipatinga/MG - Abril/2018

 

RESUMO:Nesse artigo são apresentados aspectos sobre a urbanização e sobre a conectividade do meio urbano com o meio ambiente, como caminho para a minimização dos desastrosos impactos causados para formação de uma cidade sobre o meio natural. A sustentabilidade urbana vem sendo discutida nos últimos tempos visando desenvolver maneiras para tornar harmônica a relação entre a urbanização e o meio ambiente. A cidade constitui um bem comum de todos os seus habitantes que tem o direito às condições de vida, àt erra urbana, à moradia, ao saneamento ambiental e à mobilidade, mas deve ser trabalhada para ampliar e/ou melhorar os seus espaços que promovam a sua conectividade com o meio natural rural bem como para oferecer qualidade de vida e segurança para os seus habitantes.

PALAVRAS CHAVE: Cidade; Urbanização; Meio Ambiente; Sustentabilidade.

 

CAPÍTULO 1: INTRODUÇÃO

Segundo as palavras do sociólogo Robert Park, apud (HARVEY, 2008), a cidade é:“a tentativa mais bem-sucedida do homem de reconstruir o mundo em que vive o mais próximo do seu desejo. Mas, se a cidade é o mundo que o homem criou, doravante ela é o mundo onde ele está condenado a viver. Assim, indiretamente, e sem qualquer percepção clara da natureza da sua tarefa, ao construir a cidade o homem reconstruiu a si mesmo”.

 

O crescimento da população urbana e a evolução das cidades para atender as demandas do crescimento tem provocado novas ocupações com consequências desastrosas para o meio ambiente. Nesse sentido é comentado as questões dos impactos causados pelas cidades sobre o meio natural e a busca para a minimizar os impactos bem como para adequar os espaços urbanos para a qualidade de vida e segurança da população e, ainda,para a sustentabilidade urbana.

Nesse trabalho é abordado o direito à cidade sustentável e como a legislação brasileira trata a sustentabilidade urbana e as suas exigências para que o meio construído venha cumprir os anseios da população. É, também, comentado sobre os serviços que a cidade tem que oferecer para os seus habitantes. É, ainda,indicadas as disposições sobre os aspectos ambientais que envolvem a cidade, e como trabalhar as ocupações, para adequá-las aos parâmetros estabelecidos bem como para a harmonizar os espaços urbanos com o meio ambiente.

Na sequência são tratadas as questões sobre as restrições à ocupação visando à segurança e o respeito aos acidentes naturais situados dentro do perímetro urbano. São citados os aspectos que envolvem os riscos provocados pelo uso inadequado de terrenos, as consequências pelo uso de áreas à beira de cursos d’água, inundáveis e encostas de morros. É, ainda, comentado sobre as desocupações das terras com restrições à ocupação visando à segurança e qualidade da população bem como as recuperações dessas para a conectividade do meio construído com o natural rural.

Os impactos ambientais advindo da urbanização são abordados bem como vista a legislação brasileira que trata da sustentabilidade urbana, as suas exigências para que a infraestrutura urbana venha disponibilizar os serviços urbanos, para qualidade dos espaços, da segurança dos habitantes e da qualidade de vida moradores.São apresentados, também, os aspectos do consumo das energias da natureza pela população urbana e, ainda, a sobre a sustentabilidade dessa população pela pegada ecológica, a vista do seu elevado consumo das energias da natureza.

 

Acesse  aqui ao artigo completo.   

A URBANIZAÇÃO E O MEIO AMBIENTE

02/05/2018