O descaso que se observa em relação as questões ambientais nos meios  político e empresarial levaram ao sucateamento da gestão ambiental no pais e de modo muito impactante em Minas Gerais. A legislação foi flexibilizada com a argumentação que ela  colocava obstáculos e impedia o desenvolvimento econômico. A fiscalização ambiental praticamente foi extinta. Hoje quando se licencia uma obra ou empreendimento são colocadas condicionantes que devem ser cumpridas pelo empreendedor, entretanto a fiscalização do cumprimento dessas condicionantes só é feito, de modo geral uma única vez  por um relatório conhecido pelo nome de RADA – Relatório de Avaliação do Desempenho Ambiental apresentado na revalidação de licença ambiental e por relatórios de auto-monitoramento ambos produzidos pelo empreendedor.

O resultado dessa política, ao contrario de promover o desenvolvimento tem preocupado, assustado, causado horror e insegurança à sociedade. Produz vítimas e desorganiza as relações sociais, econômicas e ambientais, podemos citar alguns exemplos mais recentes:

· A Tragédia do Rompimento da Barragem da  SAMARCO em Mariana MG – despejando 40 milhões de metros cúbicos de lama que devastaram a Bacia do Rio Doce causando a morte de 19 pessoas, e provocaram a interrupção de atividades econômicas, culturais, sociais  e impactos ambientais significativos na flora e na fauna do rio e do mar.

· A explosão do gasômetro da Usiminas em Ipatinga que apesar de não ter provocado vitimas fatais deixou a população residente nos bairros do entorno a empresa sem informações sobre o que estava acontecendo e saber quais providencias deveriam tomar. Varias pessoas evacuaram suas residências de forma desordenada provocando congestionamento do trafego e sem terem informações sobre que deveriam fazer.

· A Tragédia do Rompimento da Barragem da Vale em Brumadinho provocou a morte de  mais de 308 vitimas , cerca de 193 corpos já resgatados e 115 desaparecidos , as busca por corpos  continua. O rio Paraopeba foi seriamente impactado, a utilização da água e as atividades dela dependentes estão  comprometidas e a lama continua seu caminho de destruição rumo a barragem de Três Marias .

· O incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo, em Vargem Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro, deixou dez mortos e três feridos, jogadores das categorias de base do clube carioca.

É preciso de forma urgente que as conquistas da sociedade na vertente do desenvolvimento sustentável sejam respeitadas por toda sociedade Poder Público, Setor Produtivo e Sociedade Civil. Deve-se discutir e aprimorar os controles e regulamentações e não simplesmente revogá-las com a desculpa de promover o desenvolvimento do pais.

O Descaso com o Meio Ambiente continua a produzir vitimas

07/03/2019