A prefeitura de Ipatinga promoveu recentemente o seminário “Arborização Urbana – Saúde Pública e Qualidade de Vida” em parceria com a Infrater e a Sociedade Brasileira de Arborização Urbana (SBAU).  Parabenizamos os promotores pela iniciativa e esperamos que ele renda  bons frutos.

Aberto pela prefeita Cecília Ferramenta, que destacou a arborização como uma das principais marcas da cidade, que tem hoje uma das maiores áreas verdes por habitante do país. “São aproximadamente 100 mil árvores plantadas em áreas públicas e um programa inovador de produção de doação de mudas à população”. Afirmou também que esse  patrimônio verde precisa ser cuidado por todos.

 A afirmação colocada durante o evento  que “Podar uma árvore não é tarefa simples, é preciso ter técnica e seguir uma série de normas”, é inquestionável e reconhecida por todos, mas o que vemos ser praticado na cidade é um abuso para com  nossas árvores urbanas. A poda é delegada as concessionárias de energia elétrica e de telefonia, e os critérios utilizados é a priorização das redes e não das  árvores. É triste observar nossas árvores depois de uma seção de “poda seletiva“ visando desobstruir  as redes aéreas, uma verdadeira mutilação.

Recentemente vimos ser  removido totalmente o Cinturão Verde da Linha Férrea da Vale, deixando exposta e sem nenhuma proteção uma das áreas mais criticas em termos de poluição atmosférica, na área central da cidade: os pátios de carvão, de matéria primas e as coquerias, isso sem falar das emissões produzidas pelas composições de minério para exportação.

As encostas urbanas revegetadas pela Usiminas, também motivo de orgulho para a cidade, estão abandonadas sua manutenção é deficiente  pela redução no quadro de funcionários e devastada pelo roubo de madeira. Isso mesmo, desmatamento em pleno centro urbano da cidade.

Moradores se julgam donos das árvores plantadas em frente suas residências  e efetuam podas ornamentais que mutilam, enfraquecem e levam  a morte bonitos e sadios exemplares de árvores que conseguiram sobreviver ao longo dos anos.

Áreas verdes publicas  são utilizadas comercialmente deixando sua  função publica  para produzir  lucro para poucos como se fossem particulares.

Se essas áreas são importantes para  a cidade e seus moradores como afirmaram a prefeita e os palestrante do evento, então devem ser implantadas urgentemente políticas publicas visando sua manutenção, conservação e  ampliação já que as existentes não estão funcionando. Estamos dispostos a colaborar para que  Ipatinga continue a ser a cidade  como maior  numero de áreas verdes por habitantes.

Arborização Urbana – Saúde Pública e Qualidade de Vida.

Data: 14 / 10 / 2014.

Remoção de Árvores na Encosta Urbana do Bairro Ideal / Iguaçu - Ipatinga MG.

Remoção do Cinturão Verde da Vale no Centro - Ipatinga MG.