A cada ano eleitoral somos bombardeados por uma poluição que incomoda muito mas é pouco combatida ou discutida. São santinhos, carros de sons, cavaletes, outdoors, muros pichados que atravessam o nosso caminho a cada vez que a palavra “eleição” chega aos noticiários. Interessante observar que raro candidato que não usa o termo “meio ambiente” em suas promessas de campanha. Mas o que será que os candidatos entendem por meio ambiente?

Basta observar o comportamento de cada candidato durante a campanha para descobrirmos que o cuidado com o meio ambiente nem sempre é prioridade em seu dia a dia. Além disso o discurso que desvincula a preocupação com o meio ambiente com saúde, saneamento básico, moradia, empregos, geração de renda, enfim qualidade de vida também demonstra um total desconhecimento do que o termo significa.

Nossos representantes políticos devem representar realmente nossos desejos e aspirações de um mundo melhor, ético, socialmente justo, economicamente viável e ecologicamente correto. Esses aspectos não são mostrados apenas nos discursos, mas na prática diária, na campanha política. Não só o que o candidato diz, mas, principalmente em como ele age, como se porta diante de seus adversários políticos, como trata o bem público, como usa os recursos que recebe através de nossos impostos. Isso mesmo, somos os financiadores das campanhas políticas uma vez que o Fundo Partidário é formado com recursos dos impostos que pagamos ao Governo.

Nestas eleições temos mais uma oportunidade de escolher os melhores representantes de nossas causas políticas, sociais, econômicas e ambientais. É importante procurarmos por candidatos que demonstrem essas preocupações ao longo de suas vidas e não somente pelos discursos copiados nos “santinhos” ou decorados para os programas de rádio e TV.

Candidato que suja as ruas, perturba a paz e o silêncio alheios, paga para “apoiadores” colocarem propagandas nos muros, nos carros e pela presença em comícios não merecem nosso voto. Eleitor que apoia esta prática não deveria reclamar da corrupção e inércia dos Políticos uma vez que compactua com eles.

Pense, pesquise, conheça os candidatos e faça uma escolha ecologicamente responsável.

Claudia Diniz Pinto Coelho

 

Meio Ambiente na Política

Data: 13 / 09 / 2016.

Candidato que suja as ruas e perturba a paz não merecem nosso voto.

Basta observar o comportamento de cada candidato para o cuidado com o meio ambiente.