A crise hídrica que assola o sudeste do país se agrava. O déficit  hídrico se espalha abrangendo vários aglomerados urbanos. A capital do estado Belo Horizonte e sua região metropolitana com seus 5, 8 milhões de habitantes esta ameaçada de  racionamento de água. Previsões climáticas  não são favoráveis, provavelmente não teremos o volume de chuva necessário para recuperar, mesmo que parcialmente os reservatórios, tanto os  artificiais para   geração de energia e abastecimento publico, como os subterrâneos responsáveis pela recarga dos corpos hídricos de superfície, rios, ribeirões, córregos e lagoas. Ações urgentes de curtíssimo, de médio e longo prazo para minimizar os impactos que se avolumam são necessárias. Todos indistintamente devemos colaborar fazendo nossa parte, desde a racionalização do consumo em  nossas residências até investimentos volumosos em obras  e programas ambientais.

Em Ipatinga foi anunciado que as nascentes d’água receberão atenção especial a partir de fevereiro deste ano, com o início do projeto “Mapa da Mina”. Realizado numa parceria entre Prefeitura de Ipatinga, Ministério Público e o Instituto Interagir, o projeto propõe catalogar, estudar, proteger e, se necessário, recuperar todo o manancial hídrico existente nas áreas rural e urbana de Ipatinga. A primeira etapa do levantamento pretende cobrir as regiões das sub-bacias do Ipanemão, Ipaneminha, Tribuna e Morro Escuro. Somando esforços e com o  objetivo de ampliar as ações de proteção das nascentes do município, a chefe do Executivo anunciou que as escolas da rede municipal de Ipatinga vão trabalhar paralelamente com ações de Educação Ambiental na comunidade.

Esperamos que as ações de educação ambiental previstas ajudem a quebrar a resistência dos proprietários rurais descrentes e desconfiados das  ações oriundas do poder publico e consiga conquistar a sua adesão ao projeto.

Recomendamos também se possível uma ligação do Projeto com outros em elaboração, como o “Produtor de Água“ do Comitê de Bacia do Rio Piracicaba, para alavancar e maximizar a proteção de nascentes e de remanescentes florestais da bacia do ribeirão Ipanema, transformando-o em exemplo de ações eficientes e eficazes.

A Fundação Relictos apoia o projeto e parabeniza  o Instituto Interagir, a Prefeitura de Ipatinga e o Ministério Público pela iniciativa e se coloca a disposição do para colaborar dentro de suas possibilidades para o seu sucesso. Parabéns pela iniciativa!

Iniciado o Projeto Mapa da Mina.

Data: 24 / 01 / 2015.

A comunidade também participou do lançamento do projeto Mapa da Mina.

Cerimônia de lançamento do Projeto Mapa da Mina na Bica da Fonte - Estrada do Ipaneminha.