PELOS SERES VIVOS, RAROS  ESCASSOS ESPECIAIS.

FUNDAÇÃO RELICTOS

NOTÍCIAS  219

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tabela IQA - Índice de Qualidade do Ar.

 

A poluição atmosférica tem sido objeto de discussões cada vez mais freqüentes, pois seus efeitos visíveis e palpáveis tem sido observados no dia a dia pelo crescimento considerável de diversas fontes de poluentes atmosféricos nos últimos anos, em especial a frota de veículos automotores em circulação. A idade dos equipamentos de controle de poluição e suas manutenções ao longo dos anos também influi de forma crucial na qualidade do ar que respiramos. O impacto ambiental provocado pelos poluentes atmosféricos reflete diretamente na saúde humana, nos ecossistemas e nos materiais de modo que a cada dia aumenta a necessidade de dar maior atenção ao monitoramento da qualidade do ar.

A comunidade médica internacional entende que respirar um ar impuro é altamente prejudicial à saúde e, dependendo da concentração dos poluentes, toda a população pode apresentar sintomas como tosse seca, cansaço, ardor nos olhos, nariz e garganta. As pessoas de grupos sensíveis como crianças, idosos e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas costumam apresentar sintomas ainda mais graves. Desta forma, o poder público possui a obrigação de estabelecer Padrões de Qualidade do Ar definindo os limites aceitáveis de emissão de poluentes e fiscalizando rigorosamente o seu cumprimento para garantir a saúde e o bem estar da população.

Para fornecer instrumentos de ação às  empresas e ao poder publico é realizado o monitoramento da qualidade do ar determinando o nível de concentração de um grupo de poluentes universalmente consagrados como indicadores, selecionados devido à sua maior freqüência de ocorrência na atmosfera e aos efeitos adversos que causam ao meio ambiente. São eles: material particulado (poeira), dióxido de enxofre (SO2), monóxido de carbono (CO), óxidos de nitrogênio (NOx) e ozônio (O3).

Para cada uma dessas substâncias, foram definidos padrões de qualidade do ar, ou seja, limites máximos de concentração que, quando ultrapassados, podem afetar a saúde, a segurança e o bem-estar da população, bem como ocasionar danos ao meio ambiente em geral. No Brasil, os padrões de qualidade do ar foram fixados pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), por meio da Resolução Conama 03/90, sendo também adotados em Minas Gerais. Esta resolução, de 28 de junho de 1990, encontra-se desatualizada e seus padrões válidos para a época de sua implantação, hoje encontram-se obsoletos e não satisfazem mais as exigências da população afetada. Atualmente o CONAMA promove discussões visando a atualização destes padrões.

Os dados do monitoramento efetuado em Ipatinga em 4 estações automáticas  localizadas  nos Bairros Cariru, Bom Retiro, Cidade Nobre e Veneza são divulgado para a população depois de tratados por meio do cálculo dos Índices de Qualidade do Ar (IQA) – uma ferramenta matemática utilizada para converter as concentrações dos poluentes nas escalas boa, regular, inadequada, má, péssima e crítica. O objetivo do IQA é permitir uma informação precisa, rápida e facilmente compreendida sobre os níveis diários de qualidade do ar. Painéis informativos localizados no Shopping, Prefeitura de Ipatinga e Bairro Cariru disponibilizam estas informações à população.  As informações divulgadas estão de acordo com a legislação vigente, o que não significa a presença de  incômodos causados pela qualidade do ar.

Com o inicio do inverno, as baixas temperatura e a umidade dificultam a dispersão dos poluentes na atmosfera, piorando em muito a qualidade do ar que respiramos. Nesta época é necessário um esforço especial das empresas e do poder publico. O Funcionamento eficaz dos Equipamentos de Controle das Fontes de Poluição, o Rodízio de Carros, Fiscalização da Emissão de  Poluentes por Ônibus e Caminhões, Aspersão de Pilhas, Pátios e Áreas  de Recebimento de Minérios e Carvões, Varrição de Ruas e Avenidas industriais e publicas, são algumas medidas que devem ser adotadas a curto prazo. A atualização dos padrões de emissão de poluentes e dos equipamentos de controle da poluição exigem um tempo maior, mas  são fundamentais para que possamos viver  com saúde e segurança.

 A Qualidade do Ar que respiramos.

 

Data: 26 / 06 / 2014.